A oitava geração de processadores Intel Core vai chegar antes do esperado: em conferência para investidores, a fabricante anunciou que os chips Coffee Lake serão lançados ainda em 2017. Mas não espere nenhuma grande mudança: eles continuarão sendo fabricados em 14 nanômetros e deverão ter ganho modesto de desempenho em relação à geração atual.

Os lançamentos da Intel não estão tão previsíveis quanto antigamente porque a empresa abandonou a famosa estratégia tick-tock: em uma geração, a fabricante implantava uma nova tecnologia de miniaturização (tick); na geração seguinte, o mesmo processo de fabricação era utilizado em uma nova arquitetura (tock). Mas Broadwell (5ª geração), Skylake (6ª geração), Kaby Lake (7ª geração) e Coffee Lake (8ª geração) são todos fabricados em 14 nanômetros. É um tick-tock-tock-tock.

Não há muitos detalhes sobre os chips Coffee Lake. Por enquanto, a Intel se limita a dizer que os novos processadores terão mais de 15% de aumento de performance em relação aos atuais Kaby Lake (que, por sua vez, tiveram ganho de 15% em relação ao Skylake). Mas, como nota o Ars Technica, o “ganho” dos Kaby Lake, na verdade, foi apenas um aumento de clock nos processadores para desktops.

A expectativa é que a linha de processadores Core de 8ª geração inclua um Core i7 de seis núcleos para pessoas menos ricas — atualmente, a empresa só coloca mais de quatro núcleos de CPU nos caríssimos chips Core i7 Extreme Edition ou Xeon. As primeiras máquinas com o próximo lago da Intel serão lançadas no segundo semestre de 2017.

Enquanto a Intel demora para apresentar sua arquitetura de 10 nanômetros (os Cannon Lake, de 9ª geração, ainda não têm nenhuma previsão de lançamento), o novo processo de fabricação está pronto para chegar aos smartphones — Qualcomm e Samsung já começaram a fabricar o Snapdragon 835, que será lançado ainda na primeira metade do ano.

Via tecnoblog